Auxilio Emergencial – o que é?

A Auxílio Emergencial (também conhecida como coronavoucher) é um benefício do governo concedido a microempresários individuais, trabalhadores informais e pessoas de baixa renda que de alguma forma perderam seus empregos devido à pandemia de coronavírus (COVID-19).

A lei foi assinada pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, em 1º de abril de 2020 e publicada em 2 de abril de 2020, onde ficou estabelecido que seriam pagos R $ 600 para quem perdesse suas fontes de renda e R $ 1200 para mães solteiras chefes de família, inicialmente por três meses.

Como forma de incentivar medidas de proteção como o isolamento social e diante da crise econômica que viria com o fechamento de muitas empresas e o desemprego em massa, o governo optou por apoiar as pessoas menos favorecidas que sofriam os efeitos da pandemia de forma mais direta. . Com um investimento que já ultrapassa a marca de R $ 200 bilhões, pode ser considerada a maior operação de transferência de recursos para um programa social da história do Brasil. Pouco mais de 65 milhões de brasileiros foram considerados elegíveis para receber e receber o auxílio.

O que é Auxílio Emergencial?

É um apoio financeiro concedido a pessoas com maior vulnerabilidade financeira durante a pandemia do coronavírus, foi proposto que as pessoas recebessem uma renda, já que muitas perderam o emprego e muitas famílias se viram impossibilitadas de ganhar a vida, já que a pandemia trouxe a quarentena com e na maioria dos estados houve dias de Lockdown. O povo brasileiro estava de mãos atadas e teve que recorrer a subsídios governamentais.

Quem tem direito?

A questão que surgiu foi em relação a quais pessoas têm direito ao recebimento do benefício. Algumas regras foram postas em prática para gerar um filtro e identificar quem realmente precisava e deveria receber o dinheiro. Isso inclui:

Mais de 18 anos;


Mães adolescentes;


Quem não tem emprego formal ativo;


Que não seja titular de benefício de previdência ou assistência social, beneficiário de seguro-desemprego ou programa de transferência de renda;


Mora no Brasil;


Registered in CadÚnico or Bolsa Família;


Quem está recebendo o abono de salário;


Microempreendedor individual (MEI), contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalha por conta própria ou trabalhador informal sem carteira de trabalho assinada;


Família com renda de até meio salário mínimo (R $ 550) por pessoa e / ou renda total de até três salários mínimos (R $ 3.300).


Como se inscrever para o benefício?

Para abrir o pedido de inscrição no Atendimento Emergencial, o cidadão precisa se cadastrar pelo site ou aplicativo. O passo a passo a seguir mostra como deve ser feito esse cadastro.

  1. Download the Caixa Auxilio Emergencial app or visit the website https://auxilio.caixa.gov.br/

  2. O aplicativo pode ser baixado gratuitamente para Android e IOS

  3. Na página inicial do aplicativo ou site, clique em “Faça sua solicitação” se você atende aos requisitos necessários para saber se tem direito a assistência de emergência. Preencha os dados como nome completo, CPF e data de nascimento. É importante não omitir nenhuma informação.

  4. Em seguida, digite o número do celular para receber um código de verificação por SMS. Assim que a mensagem chegar, digite o código que foi recebido.

  5. O próximo passo é informar sua renda, o ramo de atividade (as opções são Agricultura e Pecuária, Extração / Pesca, Comércio, Produção de bens, Prestação de serviços, Trabalho Doméstico e outros), estado e município. Assim que esta etapa for concluída, basta inserir os detalhes dos membros da família que moram com você.

  6. Tanto na aplicação como no site existe a possibilidade de escolher se quer receber uma conta existente ou criar uma conta poupança digital. Após informar a opção, forneça o número do seu documento (RG ou CNH).

  7. Ao concluir essas etapas, certifique-se de que seus dados estejam corretos. Se você não precisar fazer nenhuma alteração, clique em “Concluir sua solicitação”.

Ao final do cadastro, você é informado de que seu pedido foi recebido e está em análise. Em até cinco dias úteis, consulte o resultado da solicitação no site ou no aplicativo.

A partir de junho de 2020, o governo decidiu usar os correios para que a população pudesse tirar dúvidas e ser orientada sobre como fazer o pedido, uma vez que muitas pessoas não tinham acesso à internet ou tinham dificuldade para abrir o pedido.

Porção de Auxílio Emergencial

Como já foi dito, inicialmente o governo pagaria apenas três parcelas da ajuda, mas com o agravamento da pandemia, era necessário que o número de parcelas fosse revisado. Em julho, foram aprovadas mais duas parcelas do benefício e no início de setembro de 2020 o Governo Federal do Brasil anunciou o pagamento de mais quatro parcelas, desta vez com o valor reduzido para R $ 300.

Em março de 2021, o Auxílio Emergencial foi estendido em 4 parcelas para as famílias que receberam o benefício no ano passado, desde que a pessoa não esteja recebendo outro benefício do governo. Não é necessário se cadastrar, pois as informações já estão armazenadas em um banco de dados.

A primeira parcela será paga em abril e o valor médio é de R $ 250. Porém os valores variam de acordo com cada grupo:

  • Quatro parcelas de R $ 150 para unidades familiares com apenas um membro;
  • Quatro parcelas de R $ 375 para mães que mantêm o lar;
  • Quatro parcelas de R $ 250 para os demais beneficiários do programa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *